FutebolGlobal

Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019

COPAS DO MUNDO DE FUTEBOL (1930/2006)

ALEMANHA 2006 (CAMPEÃ ITÁLIA) ALEMANHA 2006 (CAMPEÃ ITÁLIA)
CORÉIA/JAPÃO 2002 (CAMPEÃO BRASIL) CORÉIA/JAPÃO 2002 (CAMPEÃO BRASIL)
FRANÇA 1998 (CAMPEÃ FRANÇA) FRANÇA 1998 (CAMPEÃ FRANÇA)
ESTADOS UNIDOS 1994 (CAMPEÃO BRASIL) ESTADOS UNIDOS 1994 (CAMPEÃO BRASIL)
ITÁLIA 1990 (CAMPEÃ ALEMANHA) ITÁLIA 1990 (CAMPEÃ ALEMANHA)
MÉXICO 1986 (CAMPEÃ ARGENTINA) MÉXICO 1986 (CAMPEÃ ARGENTINA)
ESPANHA 1982 (CAMPEÃ ITÁLIA) ESPANHA 1982 (CAMPEÃ ITÁLIA)
ARGENTINA 1978 (CAMPEÃ ARGENTINA) ARGENTINA 1978 (CAMPEÃ ARGENTINA)
ALEMANHA 1974 (CAMPEÃ ALEMANHA) ALEMANHA 1974 (CAMPEÃ ALEMANHA)
MÉXICO 1970 (CAMPEÃO BRASIL) MÉXICO 1970 (CAMPEÃO BRASIL)
INGLATERRA 1966 (CAMPEÃ INGLATERRA) INGLATERRA 1966 (CAMPEÃ INGLATERRA)
CHILE 1962 (CAMPEÃO BRASIL) CHILE 1962 (CAMPEÃO BRASIL)
SUÉCIA 1958 (CAMPEÃO BRASIL) SUÉCIA 1958 (CAMPEÃO BRASIL)
SUÍÇA 1954 (CAMPEÃ ALEMANHA) SUÍÇA 1954 (CAMPEÃ ALEMANHA)
BRASIL 1950 (CAMPEÃO URUGUAI) BRASIL 1950 (CAMPEÃO URUGUAI)

MUNDIAL 1950 - MARACANAZZO

Em 1950 ocorreu a primeira Copa do Mundo do pós-guerra, com o Brasil designado para abrigá-la. Para receber a competição, o Rio de Janeiro construiu gigantesco estádio, o Maracanã, apelidado de “Maior do Mundo”, com capacidade para 200 mil pessoas. Foi um marco: 12 anos após a última edição, o principal torneio do futebol voltava a ser disputado. Mas a expectativa foi frustada, após a derrota na final por 2 a 1 para o Uruguai, que se tornaria o bicampeão, no chamado “Maracanazo”.

Os países europeus haviam sido arrasados pelo conflito e não tinham condições de sediar evento. Assim, no congresso de 1946, a Fifa escolheu o Brasil como anfitrião. Os prejuízos da 2ª Guerra e a distância da Europa com América do Sul esvaziaram a Copa brasileira. As Chaves A e B tiveram 4 equipes, a Chave C só 3 e Chave D apenas 2 (Uruguai e Bolívia). Vencedores de cada grupo, já passavam para o quadrangular final, do qual sairia campeã quem fizesse maior número de pontos.

Além de Uruguai e Brasil, Suécia e Espanha passaram à fase decisiva. O Brasil iniciou arrasando as seleções européias: 7 a 1 contra a Suécia e 6 a 1 contra a Espanha. O último jogo seria contra o Uruguai, que havia empatado com os espanhóis e vencido os suecos no sufoco. Com um ponto a mais na tabela, o empate garantia o título à seleção brasileira. Um jogo decisivo entre o Brasil e Uruguai foi a final do torneio: no estádio Maracanã, Rio de Janeiro, multidão de 200000 torcedores.

Quem abriu o placar foi Friaça do Brasil, no começo da 2ª etapa. Depois, 2 arrancadas de Ghiggia pela direita: o ponta venceu Bigode e cruzou para Schiaffino, que empatou. Faltando pouco repetiu e chutou direto, rente à trave: 2 a 1. Delegação Brasileira: Adãozinho, Ademir, Alfredo II, Augusto, Baltazar, Barbosa, Bauer, Bigode, Castilho, Chico, Danilo, Ely, Friaça, Jair da Rosa Pinto, Juvenal, Maneca, Nena, Nílton Santos, Noronha, Rodrigues, Ruy, Zizinho e técnico Flávio Rodrigues Costa.

FRANÇA 1938 (CAMPEÃ ITÁLIA) FRANÇA 1938 (CAMPEÃ ITÁLIA)
ITÁLIA 1934 (CAMPEÃ ITÁLIA) ITÁLIA 1934 (CAMPEÃ ITÁLIA)
URUGUAI 1930 (CAMPEÃO URUGUAI) URUGUAI 1930 (CAMPEÃO URUGUAI)
Maior evento de Futebol do planeta Terra e a segunda maior competição espor-
tiva do mundo em audiência, atrás apenas dos Jogos Olímpicos, a Copa do Mundo
mexe com bilhões de pessoas e atinge os 5 continentes. Disputada desde 1930 com
sua primeira edição e que contou apenas com seleções convidadas, o torneio ocorre
de 4 em 4 anos e desde 1998 é disputado por 32 países. As edições de 1942 e 1946
foram canceladas, em conseqüência da terrível Segunda Guerra Mundial.
 
Idealizada pelo francês Jules Rimet, que deu nome à taça conquistada em defini-
tivo pelo Brasil em 1970, a competição fica maior a cada edição. O torneio, que reúne
melhores jogadores do mundo, teve seu “boom” em 1970, quando pela primeira vez
foi transmitido via satélite e em cores, para os lugares mais distantes e povos distin-
tos. Em 19 edições, seleto grupo de 8 países levantou a Taça: da América (Argentina,
Brasil, Uruguai) e Europa (Itália, Alemanha, Espanha, França, Inglaterra).
 
Desde que começou a ser disputada por 32 seleções, a Copa do Mundo pas-
sou a ser dividida em 8 grupos estabelecidos por sorteio, com 4 equipes cada. Os
times enfrentam-se única vez, dentro de suas chaves. As 2 melhores equipes de cada
uma, avançam para oitavas-de-final. Em caso de empate em pontos, os critérios para
desempates: saldos de gols, gols marcados, confronto direto, saldo de gols em jogo
direto, gols marcados no mesmo confronto e como última alternativa sorteio.

A partir das oitavas-de-final os jogos são eliminatórios e em caso de empate ao
fim dos 90 minutos, é disputada prorrogação de 30 minutos, dividida em 2 tempos
iguais de 15 minutos. O “gol de ouro” onde a primeira equipe que marcar saía vitori-
osa foi utilizado em 2002 e depois extinto. Persistindo a igualdade, o vencedor sai na
disputa de pênaltis, com 5 alternados para cada lado. Outras fases (quartas-de-final,
semifinal e a grande finalíssima) obedecem sempre mesmos critérios das oitavas.